sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

a beleza de um coração partido

Como dóóóóói, né? Aí vem uma retardada postando no blog dela que é uma coisa bonita quebrar a cara e chorar as pitangas por dor de amor. Claro, bonito não é. Nem gostoso. Agora pensa comigo: tu estas de coração partido por quê?

Primeiro porque baixaste a guarda para alguém, deixaste a pessoa se aproximar, te conhecer, te conquistar. Até aí só coisa boa.
Com isso vem o sentimento. Quelo maledeto que dá um medo danado. Mas tem o medo e a vontade... E a vontade te leva aos pouquinhos em direção de um RELACIONAMENTO (uuui, medinhoo de novo!).

As coisas vão acontecendo: as mãos se tocando, as bocas se beijando, os corpos se apertando, os sorrisos se abrindo e iluminando, os olhos.. ah, os olhos, esses sim são diagnóstico: eles brilham, sorriem, vibram, cantam.

Depois disso acontecem jantares (cada vez mais raros nos 'relacionamentos' atuais - como fazem falta!!!), as ligações e torpedos, as conversas mais íntimas, a cumplicidade, o carinho, a família envolvida, as viagens juntos, o respeito cada vez maior, os planos, os presentes (nao necessariamente comprados), os gestos que expressam o apreço um pelo outro.

Eventualmente ocorrem brigas, discussões... algumas mais sérias que acabam separando os dois apaixonados. Isso acontece porque NADA, absolutamente nada, é para sempre. E melhor assim, não acham?

Se relacionamentos não terminassem, eu não teria namorado com meus ex namorados que me fizeram crescer, o carinha que tu estas de olho nao estaria disponível no mercado novamente, meus pais não estariam casados.
Se relacionamentos nao terminassem tu estarias fadada(o) a ficar para sempre com a pessoa que tu escolheste anos atrás, quando pensavas diferente do que pensas hoje.

AINDA BEM que relacionamentos terminam. Todo sabor inconfundível de novo-amor pode ser sentido mais de uma vez, as sensações, o friozinho na barriga, a angústia da dúvida (será que ele vai me ligar? será que ele me quer? será que encontrei o que eu procurava?), a delícia do siiim *-*, e o prazer de todas as coisas citadas anteriormente que envolvem o relacionamento.

Claro que dói quando termina, mas a dor passa. As coisas legais que VIVERAM juntos (VIVERAM porque se arriscar e deixar as coisas acontecerem, mesmo com medo, mesmo sabendo que pode machucar é VIVER) ficam na memória e são guardadas com muito carinho.
E sabes o melhor? À medida que o tempo passa e a gente cresce, fica mais fácil superar um coração partido. E, além disso, vamos aprendendo o que serve e o que nao serve para a gente e percebe que 'migalhas' devem ser despresadas, nao vale a pena reservar-se para elas e perder a oportunidade de um 'banquete'.

Dor de amor é bom porque significa que vivemos um amor, mesmo que um amor-migalha, mesmo que um amor-sozinho... Amor é amor! E sempre vai valer a pena*.

*Desde que não deixemos um 'meio-amor' se estender demais, prejudicando o amor mais importante de todos: o amor próprio.

3 comentários:

  1. Amei! Me identifiquei tanto, pensaste em mim quando escreveu algumas partes né? (aa maaais achada... hahaha)

    Eu penso bem isso: um viver um amor é sempre
    válido porque tu viveu, sentiu... tah vida e tens sentimento... és um ser humano de verdade! Agnt sofre mas depois que passa nos parece tudo tão menor e o que fica são os momentos bons e tudo q tu aprendeu!

    como diz a Helena: me senti lida te lendo! adorei!

    ResponderExcluir
  2. nega! fiquei de cara agora... como tu escreve coisas maras assim e nao me chama pra le!?!!? :/ justo eu que adoro um blog! :(
    tudo bem... nao vo começa o ano triste contigo pq eu nao quero passa o resto dele assim! ahiuhauihiuhe entao vo relevá! :P

    adorei os textos.. fueda pra caralho!
    besosssssssssssssssssssssssssssssssssssss

    (ah, feliz ano novo pra ti gatinha, que tu sejas mt feliz e realize todas tuas vontades!!!)

    ResponderExcluir
  3. TUDO LINDO! A única coisa ruim é que quando as grandes merdas das nossas vidas acontecem a gente simplesmente não consegue lembrar que as coisas passam, sempre passam! E a dor passa e a vida continua. É ruim também que a gente não consegue compreender como o mundo segue girando com toda a dor que a gente tá sentindo! Como diz o Mario Quintana, o pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada a ver com eles.
    Mas no fundo, como tu disse muito bem ali, a gente querendo ou não, o mundo vem, nos atropela, a gente se esborracha e levanta, mais cautelosas (os) e mais fortes. Dói, a vida é uma bosta, mas vale tanto à pena!
    E o engraçado é que, quando mais a gente cresce, mais aquelas velhas verdades que a gente sempre ouviu mas nunca entendeu, vão fazendo cada vez mais sentido.
    É tudo meio hard, mas a minha vontade de beber a vida vai sempre aumentando!
    Vamos andando porque as flores estão no caminho!
    Teu texto me deu uma felicidade enorme!

    ResponderExcluir