quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Proteção animal

www.leideprotecaoanimal.com.br

Não custa nada entrar, ler o projeto de Lei e assinar! ;D
Se nós, pensantes deste país, não fizermos nada, eles - que são eleitos para colocar nossas idéias e ideais em prática - também não vão fazer.

Não terminei de ler a Lei, ela me ganhou no Artigo segundo:
"Art. 2o São também objetivos desta Lei:
I. promover a melhoria da qualidade do meio ambiente, garantindo condições de saúde, segurança
e bem-estar público;"

terça-feira, 20 de julho de 2010

O meu amor.

Sabe aquela pessoa? Aquela, que vai contigo no cinema, que ri das tuas piadas, sente prazer em tua companhia?
Aquela que te ouve reclamar da porcaria da faculdade que não vinga, da porcaria da faculdade que vai terminar e tu sequer sabe o que fazer quando essa hora chegar.
Aquela pessoa que bebe cerveja contigo, dança contigo, assiste vídeos do youtube contigo, te recomenda lugares bacanas pra jantar e volta e meia te acompanha na janta? E às vezes até paga ela... Que toma sorvete contigo até no dia mais frio de inverno, só porque sabe que tu adora?

Aquele serzinho espetacular que torna teu dia melhor, que lembra de coisas que aconteceram anos atrás e riiii, porque a desgraça passou e agora chega a ser engraçado. Aquela pessoa que acampa contigo, convive contigo e tem as melhores lembranças do teu lado. E as piores também... Sabe?!

É esse aí... Esse aí é que é meu amor! Pau pra toda obra, parceiro pra qualquer indiada, até pra comprar calças jeans comigo, mesmo sabendo que a probabilidade de um "nada fica beeeem porque eu sou goooordaaaaaa" em tom de choro é quase 90%. Que sai só pra dar uma "bandinha" no centro e acaba comprando um kit "auto-confiança-propulsora-da-auto-estima" efêmero, mas valiosíssimo (composto pelas mais diversas coisas que só uma mulher consegue entender o bem que fazem) por menos de 15 reais. Que vai dar uma volta pela cidade e volta às 5h da manhã porque nem viu o tempo passar. É. É ele.. o amor da minha vida.

E o amor da minha vida, como tinha que ser, aguenta minhas inseguranças e inconstâncias, entende que eu preciso de um pulso forte por perto às vezes pra me dar aquele empurrãozinho e nao me abandona. Vai comigo aonde for, mesmo que nao fisicamente.

Esse amor da minha vida é tão grande, mas tão grande e tão forte, mas tão forte, que não coube numa pessoa só. Tá dividido em cada um dos meus AMIGOS que tão aí (uns) há tanto tempo (e outros menos, mas com grande significado) e que eu sei que ... pô, nada melhor!
Feliz dia do amigo, AMO vocês!

domingo, 20 de junho de 2010

world cup

Em época de Copa do Mundo nada mais é assunto.
A cada 4 anos, passo os meses que antecedem a copa boicotando, dizendo que nao assistirei aos jogos, evitando o assunto e abominando as camiseta da seleção brasileira a venda em qualquer esquina. Copa é pura hipocrisia! Nesse país tudo gira em torno do futebol e na copa o esquema fica quase doentio. O contrabando e a pirataria saem na frente do campeonato, líderes de seus grupos. As tintas verdes e amarelas somem do mercado e todo mundo parece ser patriota. Mas só pelo futebol.

Crimes passam batidos no notíciário - o que por um lado é bom, acabo nao ficando deprimida com as notícias. Em horário de jogos do Brasil tudo fecha, ninguém trabalha, o país pára. EU NAO TENHO AULA!
A formação intelectual dos brasileiros recebe um intervalo para que se possa assistir a uma partida de futebol!!! É ou não é assustador? Imagina dentro de 4 anos, quando esse país bonito por natureza sediará esse evento! TUDO vai parar! O lado bom é que até os criminosos estão ocupados demais para cometer delitos.

Outro lado bom é o futebol. Eu digo que nao vou assistir, faço aquele teatrinho... Mas não adianta. Eu mesma sou movida pelo futebol. Passado meu protesto eu me entrego e começo a participar de bolões, me arrependo de não ter feito o álbum, falto aula para assistir aos jogos das melhores seleçoes. E A-DO-RO!

Não adianta, eu adoro a copa. Sinto pela política, pela educação, por todo resto que sai perdendo. Fico feliz pelo comércio, pelo turismo e por quem tem dinheiro e disponibilidade de ir assistir aos jogos. E, é claro, pelo futebol arte.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Nossa Vitara nova.

Conforme o combinado, ontem eu e meu maridão fomos a uma concessionária escolher nossa mais nova aquisição: um carro.
Entre os diversos modelos, chegamos ao consenso de que por hora queríamos uma Vitara (Gauchão).
À princípio, saí de casa imaginando uma Vitara Amarelo-Ferrari, mas logo que falei isso para meu excelentíssimo ele me fez perceber que o ideal seria uma azul, pois a amarela chamaria atenção demais e enjoaria rápido (além de a azul combinar com os olhos dele). Ele tinha razão, entao fui aberta a outras opções de cores, menos branco porque eu acho feio.
Conversamos com o vendedor e ele nos informou que Vitaras haviam poucas, apenas 3: uma azul celeste (Grêmio ganha o jogo e se consagra campeão em cima do inter), uma preta (Grêmio não ganha o jogo,mas é campeão) e uma vermelha (inter, contra todas as probabilidades, sai campeão às custas do Grêmio. Nem pensar!). Já a Blazer ele poderia nos oferecer azul marinho (a cor que o maridão queria na Vitara), branca, preta, verde e bordô, além de umas bicolores como vermelha e verde (parecendo uma melancia!).
Nós nos apaixonamos pela Blazer azul marinho, mas no momento nossa prioridade era uma Vitara. A Blazer (Copa do Brasil) será nossa próxima aquisição, se Deus quiser.
As Vitarinhas, como chamamos carinhosamente, tinham valores diversificados, porque eram de anos diferentes. A mais nova era a Azul-celeste, linda por sinal. A mais velha - e consequentemente mais barata - era a vermelha. Mas a vermelha, como a amarelo-ferrari, chamaria atenção demais e enjoaria rápido. Nos restou a preta. O problema de um carro preto é que ele risca facilmente a pintura e a sujeira fica muito visível. Nosso dinheiro dava direitinho para a preta, apesar de o coração pulsar mais forte perto da azul. Paciência, temos que nos contentar com o que o podemos conquistar agora.
Levamos para casa, com pagamento à vista, nossa Vitara preta. O prazer de dirigir um carro que é teu é outra coisa. Estamos muito felizes.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Time to grow, little girl!

Chega uma hora que a fixa cai, mesmo que evitemos. Existe um momento crucial na vida acadêmica em que deixamos de ser alunos para ser estudantes. Aluno é quem absorve as informações dadas pelo professor e responde às perguntas das provas com aquilo; estudante é quem procura, pesquisa, desvenda seus próprios questionamentos e à partir disso desenvolve o pensar.
Esse "momento" tem várias etapas imperceptíveis, diversas intervenções de muitas pessoas e fatos que fazem parte da vida do aluno, mas o momento propriamente dito acontece no click de um botão: o modo estudante está vigente. Uma nova etapa se inicia com medos e inseguranças, quase nenhuma certeza, mas muita vontade e a necessidade de nadar, já que a água já está pela cintura e a maré parece subir incessantemente.
O novo provoca euforia, medo, lágrimas; mas tudo isso deve ser transponido para a obtenção do sucesso.

"I hope you know
I hope you know
That this has nothing to do with you
It's personal, myself and I
We got some straightening out to do

And I'm gonna miss you
Like a child
Misses their blanket
But I've gotta
To get a move
On with my life

It's time to be
A big girl now

And big girls don't cry
...
The path that I'm walking
I must go alone
I must take the baby steps
'Til I'm full grown

...
I need to be
With myself in center
Clarity, peace, serenity
"

domingo, 25 de abril de 2010

Meu marido surpreendente

Colorados, nao sintam-se cutucados, isso não tem nada a ver com vocês. Eu não sou (mais) o tipo de gremista que provoca.

Mais uma vez meu marido cafajeste me surpreendeu. Desta vez ele veio sem promessas, já tinha deixado claro que seria difícil satisfazer minhas vontades e me avisou que nossa viagem nas férias estava condenada. Eu ja vinha conformada com uma decepção, conformada com um relacionamento que nem sempre superava minhas expectativas. Nós nos amamos muito, mas a crise era clara.
Contra o Avai tivemos mais uma discussão: ele me deu o presente que eu queria (a classificação pras 4as, caso não tenha ficado claro), mas ficou jogando o preço na minha cara e dizendo quanto tempo iria ficar sem me levar para jantar por causa da falta dedinheiro (perder o jogo de 3x2 pesou para ele). "Isso machuca, amor. Quero estar em paz contigo, não importa tanto a Copa do Brasil. Mas tudo bem, tens feito uns bicos e parece que o dinheiro vai dar pra quitar a dívida do meu presente e sobrar no fim do mês para nossa poupança. Vamos nos manter cortando uns gastos superfulos por enquanto".
E hoje, sem esperar nada do meu maridão, ele aparece com um sorrisinho misterioso, me puxa pela cintura, diz que me ama. Depois disso, ele se ajoelha e com uma aliança de diamantes me pede para reafirmar os votos.
Parece que o esforço dele compensou e ele pode novamente suprir meus caprichos, minhas vontades, minhas necessidades e até um pouco mais.
Eu não esperava por uma demosntração de carinho tão grande (nao perder o GRE-nal), muito menos esse presente maravilhoso (ganhar de 2x0). Diamantes nem passavam pela minha cabeça (fora de casa, sob chuva? superou totalmente as expectativas!).
Com os olhos cheios de lágrimas, abracei meu marido, disse a ele que era ÓBVIO que eu aceitava, que mesmo sem o anel eu aceitaria, porque eu AMO ele e não imagino mais minha vida sem ele.
Domingo que vem ele vai me levar para escolher com ele nosso carro novo, espero que seja a Vitara amarelo-ferrari que eu venho sonhando. =)
E as nossas férias? Ele disse que no decorrer do ano a gente decide pra onde vai. ;D

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Don't bother

She's got the kind of look
That defies gravity
She's a greatest cook
And she's fat free

She's been to private school
And she speaks perfect French
She's got the perfect friends
Oh, isn't she cool?

She practices Tai Chi
She's never lose her nerve
She's more than you deserve
She's just far better than me


Hey, hey
Don't bother
I won't die of deception
I promise you won't ever see me cry
Don't feel sorry

And don't bother
I'll be fine
But she's waiting
The ring you gave to her
Will lose its shine
So don't bother, be unkind

I'm sure she doesn't know
How to touch you like I would
I beat her at that one good
Don't you think so?


She's almost six feet tall
She must think I'm a flea
I'm really a cat, you see
And it's not my last life at all


For you, I'd give up all I own
And move to a communist country
If you came with me, of course
And I'd file my nails
So they don't hurt you
And lose those pounds
And learn about football
If it made you stay
But you won't, but you won't

And after all I'm glad
That I'm not your type
Promise you won't ever see me cry

Don't bother,
I'll be fine, I'll be fine
I'll be fine, I'll be fine
Promise you won't ever see me cry
And after all I'm glad
That I'm not your type
Not your type, not your type, not your type
Promise you won't ever see me cry


to fissurada por essa música
acho ela muito eu... muito qualquer mulher com M maiúscuo, na verdade.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

É só uma dorzinha de cotovelo, juro!

Eu prefiro que pensem (ou que eu pense) que essa minha "deprê" vem de uma dor de cotovelo muito bem justificada. Eu prefiro ficar cabisbaixa porque meu romancezinho de quinta categoria terminou do que admitir que eu estou apavorada com essa história de virar gente grande.

Sei muito bem como curar dores de colovelo: confiando no tempo. Sei que delas eu me recupero e até hoje nenhuma me matou. Sei que a choradeira faz parte, conheço todas as fases da superação e da cura. Já estive lá milhões de vezes. Conheço o território que estou pisando e posso andar com segurança. Ali eu tô tranquila.

Mas não me faça admitir que não é isso que está tirando meu sono. Não me faça parar para pensar, pensar, pensar e não chegar a conclusão alguma. Não me faça lembrar que está na hora de tomar decisões que direcionarão minha vida. Eu não consigo decidir o que eu quero almoçar, imagina que assunto terá meu projeto, sobre o que será meu TCC, onde farei (se fizer) e sobre o que farei meu mestrado, doutorado e afins?!

Por favor, não me deixe ocupar minha mente com questões tão importantes: eu não conheço esse território e tenho medo de dar qualquer passo a frente. Regredir eu posso, acabei de passar por esse caminho, reconheço a volta. Por isso que eu questiono se não era melhor ir para veterinária, gastronomia, psicologia, turismo... Ser bixo quer dizer ter todo curso pela frente para pensar, para chegar nesse ponto em que me encontro: na encruzilhada que me leva a tantos lugares, tão diferentes, tantos caminhos, tão diversificados.

Mas não adianta tentar me enganar: a realidade bate à porta, as paisagens inspiram e cutucam o instinto biólogo que jamais saiu de dentro de mim, só ficou reprimido por tanto medo. Tic Tac faz o relógio: é hora de tomar decisões importantes, andar em direção do desconhecido e encarar o que vier.

Quem dera fosse um coração partido meu problema, iria doer menos.

domingo, 18 de abril de 2010

Pedra do Leão.

Cara, to extasiada. Nada como subir em uma pedra de aproximadamente 60m de altura fazendo "rapel" para sentir. Sentir medo, coragem, vontade, desejo, amor, paz, amizade, inclusive organizar as idéias... Esquecer de tudo e lembrar do que mais importa: TU!
Emociona mesmo, mexe lá no fundo. Faz a gente se questinoar, reavaliar.


to exausta, então amanha falo um pouco mais sobre tudo que eu senti esse fim-de-semana maravilhoso muito bem acompanhada e a minha cara! :)

sexta-feira, 16 de abril de 2010

De degrau em degrau a gente chega lá!

Sabe, amor, essa jornada de preparos para te encontrar é meio exaustiva!
Primeiro porque para parar de escolher os cafajestes e olhar mais para os "caras certos" (que podem não ser O cara certo, mas existe uma chance maior de engrenar) nós precisamos nos conhecer muito bem e ter uma auto-estima elevadíssima.
Essa fase do auto-conhecimento é a mais difícil eu diria, porque temos que olhar pra dentro, falar muito sobre o assunto para poder assimilar e tentar entender os porquês. Ninguém em sua sã conciência é mazoquista o suficiente para ficar pulando de canalha para canalha, sem nem cogitar os "bonzinhos". Mas também não fazemos isso por acaso: são questões internas, coisas nossas que muitas vezes nem sabemos que existem.
E a auto-estima? Ela também é uma coisa complicada. Isso porque para tê-la no nível necessário para conseguir manter um relacionamento, com doses altíssimas de amor-próprio, temos que ter segurança. Agora me diz: quem, tendo um cafajeste do lado, tem segurança? Valorizar-se, amar-se, cuidar-se... todos os "-se" ficam muito difíceis quando somos usadas, trocadas, traídas ou simplesmente não-quistas. (ai meu cotovelo, meu ego, minha cabeça: tentar decifrar o que leva o cafajeste a deixar a mocinha é ainda mais exaustivo, porque não tem lógica - ele é louco mesmo por não a querer, pode ter certeza).

Mas não vamos desmerecer o cafajeste e todas essas fases de auto-conhecimento, aceitação e auto-estima. São degraus importantes que te fazem crescer. Se não fosse o cafajeste tu não saberias o que te faz mal, o que te deixa feliz, o que te cativa. Tu não sabaeria o que procurar no "cara certo". Tu não terias maturidade para apreciar o cara certo. Palmas pro cafajeste!

É aquela coisa: tudo a seu tempo! Esse preparo todo demora, mas dá um resultado... que chega na hora certa! :)

posso sentar e chorar?

to até com medo de postar hoje.. e com uma preguiça fenomenal, porque tenho dois assuntos pra discutir e minha criatividade foi por agua abaixo... junto com minha auto-estima, meu amor-próprio, minha alegria e minha vontade de qualquer coisa.
entao fica esse pseudo-desabafo que eu marquei uma consulta extra com minha psicóloga e to indo pra lá agora. :*

(que me*da nao me achar no periódicos! a única vontade que eu tenho é de ler artigos e nao consigo achar nenhum sobre o que eu quero!)

quinta-feira, 1 de abril de 2010

ENGOLE ESSA, SEU FDP!

Andando tranquilamente pelas tuas de Pelotas, quase em um universo paralelo enquanto ouvia engenheiros do hawaii, perdida em meus pensamentos. Paro na esquina para esperar minha vez de atravessar a rua e olho para o lado: uma criança linda de mão dada com o pai. Vocês achariam lindo se eu continuasse calma contando os fatos, mas fatos como os que estou prestes a relatar não me deixam nada calma - e não são nada lindos. (não, o pai não espancou a creiança, mas pra mim o efeito é o mesmo!)

O menino carregava um copo plástico vazio nas mãos e ele simplesmente largou no chão, tentando acertar o boeiro! Cordialmente, me agaixo, recolho o maldito pedaço de plástico e digo "tem que colocar no lixo, não no chão!" num tom quase suave, digno de ser usado com crianças. Sigo em frente. Poderia dar uma palestra sobre como aquilo era errado, mas esse dia está lindo e eu não queria estragá-lo.

Meus fones no ouvido, a música não muito alta porque não quero ficar "meio-surda" como meu pai, consigo ouvir o pai da criança me chamar de grossa. Dá prá aqueditar?
Nesse momento minha boca quase se abriu, revelando meus pensamentos. Acho que minha alfinetada sutil doeu no indivíduo que não era um cidadão. E grosso é ele, que me obriga a conviver com o lixo dele.

"Jogar lixo no chão é o maior atestado de ignorância que existe e ensinar teu filho a fazê-lo é muito baixo-nível. Poxa, tu é no mínimo da classe média, julgando pelas tuas roupas... Provavelmente teve acesso a educação, não deveria ser assim! Em que mundo tu vive? Achei que esse tipo de gentinha não existisse mais. Tu viu que ele ainda tentou acertar o boeiro, seu IDIOTA? Aposto que quando chover e a rua alagar tu será um dos primeiros a reclamar... QUANDO A CULPA DISSO, EM PARTE, É TUA, seu IMBECIL." Queria falar, gritar tudo isso bem alto para que mais uns desses irresponsáveis ouvissem, mas resolvi me calar e fazer de conta que não tinha escutado nada, que o assunto não era comigo... E agora desconto aqui minha ira, faço vocês ouvirem meus lamentos pela sociedade brasileira altamente ignorante, mesmo com a informação sendo esfregada na sua cara. Que nojo!
Tudo bem que a cidade não colabora, lixeiras são raras... Mas eu recolhi o copo e levei na minha mão ate encontrar um lixo, o que impede aquele serzinho de quinta categoria de fazer esse mínimo esforço? Juro que não doeu andar com o copo por uma quadra e meia.

É muito frustrante perceber que mesmo com tudo que vem sendo feito para a conscientização do povo a realidade não muda.

domingo, 28 de março de 2010

O que eu guardo pra ti

Entre tantas "primeiras vezes", ao menos 15 eu guardei pra ti. Guardei por tempo considerável, mas minha imaturidade para lidar com esses sentimentos e essa maldita distância que insiste em nos separar me impediu de continuar guardando momentos, sabores, experiências, sentimentos novos.
Mas eu não me preocupo com a distância. Juro que não. Não me preocupo porque sei que não tenho, como eu ja disse, maturidade para lidar com algo tão grandioso, não tenho disposição e nem condição emocional para isso agora. E meu futuro está em aberto, não sei pra que lado eu vou daqui em diante e a idéia de 'deixar alguém pra trás' faz eu pensar em, de repente, mudar o rumo. E mudar o rumo por causa de outro alguém pode ser muito perigoso quando não se tem certeza do que se quer, das nossas prioridades.
Hoje eu já não me preocupo em "guardar" nada pra ti, eu não preciso. Posso fazer tudo que vier a mente, "desperdiçar" primeiras vezes com qualquer um desses playboyzinhos que ocupam meu tempo, com minhas amigas, meus pais... Todas essas coisas terão um sabor de "primeira vez" de novo quando for contigo, porque contigo vai ser com AMOR (não que com meus pais e amigos não seja com amor, mas é um amor diferente, fraternal).
Eu posso morar com um namorado antes de morar contigo, posso jurar que é amor e só depois ver que não era, contigo vai ser diferente. Eu sei que vai.
E eu sei também que eu preciso de todas essas experiências antes de te encontrar definitivamente. Esses "quase-amores" me moldam aos pouquinhos e me ajudam a perceber e apreciar o que eu quero e o que eu mais gosto em ti. Quando a gente se encontrar eu quero estar pronta, de olhos bem abertos e sabendo que eu fiz tudo que eu tinha pra fazer antes de sossegar.
Posso ficar meio ansiosa pra te encontrar às vezes, algumas outras eu surto porque ainda não te encontrei, morro de curiosidade para saber como vai ser... Mas não dá bola! Temos muito, muito tempo... E eu realmente não estou pronta ainda.
Por isso me espera, mas não me espera parado, não! Vive todas as oportunidades que a vida te der, quando estivermos prontos o destino se encarrega.

domingo, 21 de março de 2010

24/03

"Para quem nos ensinou valores e princípios, além de mostrar o caminho. Caminho este que leva ao Monumental, estádio do time que não é só inacreditável e capaz de façanhas que servem de modelo a toda Terra, mas IMORTAL!
Feliz aniversário! Tuas filhas Cássia, Camila e Fernanda.
24/03/2010"

Foi isso que "nós escrevemos" no marca-páginas que veio no livro que "nós compramos" pro pai de aniver. :)
Adiantado, mas valendo.

terça-feira, 9 de março de 2010

Martha Medeiros

"Meu egoísmo é revelar só um pedaço do que sou, só a parte boa, a mocinha da história. Tenho, dentro de mim, um elenco de coadjuvantes que não deixo que brilhem, que não dão autógrafos nem saem nas capas de revista. Egoísta. Poupando o mundo do meu lado sórdido, que costuma ser o mais interessante."


"Eu nunca mais o tinha visto. É engraçado como nossas lembranças costumam ser generosas com os nossos lembrados.... E, no entanto, ele é um homem cheio de significados. Só que, ao se materializar na minha frente, virou apenas um estranho, nada mais que isso. Ele comentou alguma coisa sobre estar.... mas eu nem ouvi direito o que ele disse, fiquei olhando pra sua boca e pensando: eu beijei tantas vezes esses lábios, eu fiquei nua tantas vezes entre esses braços, trocamos carícias eróticas e, passado um tempo, puf: viramos duas pessoas profundamente constrangidas, até mesmo beijar a face um do outro pareceu um gesto forçado....e nunca havia pensado nisso, em como é incômodo estar diante de uma pessoa com quem se trocou emoção intensa e depois cruzar com ele na rua e dizer apenas: 'tudo bem?'"


'Amor é quando você acha que a pessoa com quem você se relacionava era egoísta, possessiva e infantilóide e isso não reduz em nada a sua saudade, não impede que a coisa que você mais gostaria neste instante é de estar tocando os cabelos daquela egoísta, possessiva e infantilóide.
Amor é quando você sabe tintim por tintim as razões que impedem o seu relacionamento de dar certo, é quando você tem certeza de que seriam muito infelizes juntos, é quando você não tem a menor esperança de um milagre acontecer, e essa sensatez toda não impede de fazê-lo chorar escondido quando ouve uma música careta que lembra os seus 14 anos, quando você acreditava em milagres.'


Martha Medeiros

domingo, 7 de fevereiro de 2010

so para registrar..

que eu to morrendo de saudade dos meus colegas eamigos de pelotas..
mas que aqui tá o máximo! :D

:*

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

o cafajeste que eu nunca vou deixar

Cara, eu disse que não ia mais me abalar, que ia relevar e não ia levar futebol como uma questão de vida ou morte, mas é IMPOSSÍVEL não ficar frustrada e indignada com o Grêmio quando na 4a rodada eu ainda não vi um JOGO, só vexame.

Na estreia eu jurei que seria goleada pra cima do Pelotas. 3x2 de virada sofrido.
Ai veio o jogo contra o Caxias, de igual resultado. Contra Veranópolis, que eu vi levar goleada em casa pro Grêmio em 2006, empate de 1x1. Inadmissível!
Hoje, jogo contra o Santa Cruz, ate agora um empate. E o SCR marcou primeiro. Ainda que o imprestável do Jonas resolveu fazer um golzinho de m*rda aí e empatar aos 36 do segundo tempo. Domingo que vem tem GRE-nal, ainda bem que eu estarei fora do estado e não vou assistir esse massacre. Porque eu ODEIO admitir, mas é ÓBVIO que o Grêmio vai me decepcionar de novo. Pelo menos eu aprendi a ser realista.

Às vezes dá vontade de nem assistir mais os jogos, de largar de mão e abstrair o futebol da minha vida, mas é mais forte que eu. É uma coisa inexplicável, que tá no sangue, que me faz sentir mais viva. Afinal raiva também é sentimento e sentir é coisa de quem vive.
(GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL!!! Borges! adoro camisa 9 xD de virada é mais gostoso, como diria o Vini - mais angustiante, mas mais gostoso)

Então, chegamos onde eu queria: o Grêmio é meu marido cafajeste! Ele faz exatamente o que fez hoje: me mata de raiva e depois me traz o alívio.
É o cara que eu amo incondicionalmente, que eu até penso em largar quando tá me machucando muito e não tá correspondendo aos votos que fizemos na nossa união, que me trai e eu tenho que engolir as lágrimas... Porque quando eu tô a ponto de abrir a porta e sair de casa ele chega dizendo que me ama e me conquistando com o jeitinho bruto dele, dizendo que a vida nao teria graça se eu nao fizesse parte dela, que nao se imagina sem mim e quer me fazer feliz.. que tá se esforçando, que quer tentar mais uma vez e que se não der ele me deixa ir com razão - coisa que nao acontece porque é um ciclo, ele volta a me magoar mas volta a me fazer feliz e me encher de promessas. Promessas convincentes, como o campeonato brasileiro de 2008, como as duas últimas libertadores, como o gauchão desse ano com os novos reforços. Pena que ele em dificuldade de cumprir o que me promete, mas eu sei que são mentiras sinceras e ele realmente quer me presentear com tudo isso, quer mesmo, só não tá conseguindo. Então, mais uma vez, meu amor me mantem do lado dele, apoiando ao longo dos anos para que ele possa chegar mais perto de me dar o que eu, como esposa apixonada e dedicada, mereço.

little things (8)

The little things you do to me
Are taking me over
I wanna show you
Everything inside of me
Like a nervous heart that
Is crazy beating
My feet are stuck here
Against the pavement
I wanna break free
I wanna make it
Closer to your eyes
Get your attention
Before you pass me by

Back up, back up
Take another chance
Don't you mess up, mess up
I don't wanna lose you
Wake up, wake up
This ain't just a thing that you
Give up, give up
Don't you say that I'd be better off
Better off sitting by myself than wondering
If I'm better off, better off without you boy


Don't just leave me hanging on
Don't just leave me hanging on

And every time you notice me
By holding me closely
And saying sweet things
I don't believe that it could be
Speaking your mind and saying the real thing
My feet have broke free and I am leaving
I'm not gonna stand here feeling lonely but
I don't regret it and I don't think it
Was just a waste of time

Ex namorado bom....

...é ex bem vivo.
Ex namorado, apesar das razões que separaram vocês, é sempre uma peça fundamental na vida de uma mulher. É ele que sometimes te lembra de como era bom ser apaixonada e deixar-se levar pela emoção. É ele que conversa contigo horas no msn e tem DR de um relacionamento que já não existe, mas serve pra te lembrar das lições aprendidas e dar uma sensação gostosa de "fui tão amada por ele e hoje temos um carinho tão especial".

Teu ex namorado pode virar um repolho-recíproco. É ele que te liga na madrugada pra dizer que lembrou de ti, sem fazer joguinhos, afinal eles não cabem mais no "relacionamento" de vocês. Ele vira um amigo. Um amigo não-gay e muito útil.

Dor de cotovelo? Liga pro ex - ele te ouve, fala o que tu precisa ouvir e ainda diz que tu é uma namorada maravilhosa, que o cara é louco de te deixar ir.
Bebedeira? Liga pro ex, diz que tá morrendo de saudade e fala um monte de m*rda que no dia seguinte deixa de ser verdade e ele sabe. Coisa de momento.
Lua cheia? Liga pro ex, afinal isso é de vocês e ninguém tira.
Carência afetiva? Liga pro ex, ele sabe como te deixar melhor.

Ele é o cara que sabe tuas manias, sabe do teu jeito, sabe das tuas angústias e conviveu contigo o suficiente pra poder te dizer "tu é sensacional" e tu acreditar, porque ele sabe disso e fala com razão.
Ex não mente e ainda diz na tua cara que o gurizinho que tá te enrolando não quer nada contigo mesmo, que não é pra tu te iludir.
Alguns ex ainda servem de "garoto de programa" ao custo de uma ligação.
Alguns assistem filme contigo no dia seguinte do teu porre fenomenal e cozinham pra ti.
Alguns mandam músicas que sabem que tu vai gostar, mandam cartas, dão palpite no teu relacionamento atual (visando o teu bem, afinal eles têm um carinho enorme por ti e só querem tua felicidade).
Alguns fazem companhia pra ti na festa enquanto tuas amigas estão arranjadas e te fazem rir a noite toda.
Alguns te pedem conselhos para levar o novo namoro adiante, sendo melhor do que foi contigo e sempre interessados em saber o que erraram para fazer diferente.
Ex te dá liberdade e segurança. Mas só depois que a raiva passa. Só quando tu já ta bem e ele também.
Ex é o cara que tu não sente mais tesão, só amor. E amor sem sexo é amizade, já diria Rita Lee.

Por isso que ex é importante. Salvo os ex que são frutos de brigas sérias, que te usam quando têm "fome", que tu ainda é apaixonada, que não é EX (mas um atual disfarçado) ou que não sabe ser um ex bacana.
Eu tenho muita sorte, porque nenhum dos meus ex se encaixa nesses últimos aí. São ex amigos, ex queridos, ex participativos, ex conseleiros, ex consoladores, ex portos-seguros. E eu tenho um carinho gigante por eles e desejo tudo de bom, muito amor, muita saúde e sucesso.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Exagerada

Exagerada toda a vida: minhas paixões são ardentes; minhas dores de cotovelo, de querer morrer; louca do tipo desvairada; briguenta de tô-de-mal pra sempre; durmo treze horas seguidas; meus amigos são semi-irmãos; meus amores são sempre eternos e meus dramas, mexicanos!

Clarice Lispector

A Duka recebeu isso num depoimento da Babu e nao sei se é pq eu e a Duka somos criaturas semelhantes ou o que, mas me identifiquei demais e também achei a cara dela! :)

7 things (8)

I probably shouldn't say this
But at times i get so scared
When i think about the previous
Relationship we shared
It was aweesome but we lost it
It's not possibible for me not to care

And now we're standing in the rain
But nothing's ever gonna change until you hear, my dear...

The seven things i hate about you

You're vain, your games,You're insecure
You love me, you like her
You make me laugh,You make me cry
I don't know wich side to buy.

Your friends, they're jerks.
When you act like them, just know it hurts
I want to be with the one i know
And the seventh thing I hate the most that you do...
You make me like you.


It's awkward and silent
As i wait for you to say
What i need to hear now,
You sincere apology
When you mean it, I'll believe it
If you text it, I'll delete it. Let's be clear.

Oh, I'm not coming back
You're taking seven steps here
..

And compared to all the great things
That would take too long to write,
I probably should mention the seven that I like...

The seven things I like about you
You hair, your eyes, your old levi's
When we kiss I'm hypnotized
You make me laugh, You make me cry
But I guess that's both I'll have to buy
Your hand in mine when we intertwine, everthing's alright

I want to be with the one I know.
And the seventh thing I like the most that you do...
You make me like you.
You do...oh...

eu fico P*TA!

Cara, tu cuida do teu dinheiro, nao compra tudo que tu tem vontade porque tu tem noção de que dinheiro nao cai do céu, checa teu saldo pra saber quantas cervejas podem ser bebidas durante uma noitada no serginho, estabelece prioridades para investimentos, faz tudo direitinho. Não compra em sites na internet - não só pela falta de interesse, mas pela falta de confiança também.

Mas teu banco tem um sistema de internet banking maravilhoso, que funciona super bem. Tu pode fazer transações a hora que quiseres, pagar todas tuas contas e emprestar um dinheiro pra tua amiga que não tem como ir pra casa porque tá zerada. Tudo isso sem sair de casa. QUE MARAVILHA, HEIN!


Eis que tu tira um extrato da tua conta e sumiu o dinheiro que tu tinhas para passar o mês. A comida vai ter que esperar. Quando tu percebe isso já encerrou o horário de banco, afinal começa às ONZE da manhã e acaba antes da metade da tarde. Tu liga pros teus pais, avisa do acontecido e eles pedem cancelamento da senha do internet banking - ÓBVIO que algum filho-da-p*ta roubou tua senha. Ai tu vai pra cama pensando "ainda bem que na conta universitária o limite é baixo, no máximo vão dar um prejuízo de mais R$200,00". Mas nao demora muito e a ficha cai: "E MINHA POUPANÇA? F*DEU!".

Sabe aquele dinheiro que te tranquiliza saber que existe, pois no aperto tem como te salvar? JÁ ERA
Sabe o tua economia pra comprar teu carro? ESQUECE!
Sabe os mergulhos que tu ia fazer nas férias em Garopaba? É BOM TORCER PRO PAPAI TE DAR.
Sabe a fazenda que tu vai comprar pra montar teu negócio daqui uns anos, que custa umas 50x o que tu tem guardado? TE VIRA pra conseguir tudo de novo e mais as outras 50 parcelas.
Dormir? Só sob efeito de drogas manipuladas em laboratório.

Tem que ter muito senso de humor prá não chorar, encerrar a conta no banco e fazer um escândalo.
Hoje tem um degraçado comprando no Pará coisas que não serão minhas com o meu dinheiro. Que sensação gostosa de altruismo essa de ajudar o próximo. Aposto que ele tava precisando mais do que eu. (ironia também é uma forma de humor).

E eu vinha pensando em fazer um post sobre como é ótimo esse negócio de internet banking: nao gasta papel e tu não enfrenta filas. O que é perder um dinheirinho perto disso né? (mais um pouquinho de humor)

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Menos, por favor!

Eu quero é menos!
Menos preocupação.
Menos formalidade.
Menos nuvens no céu.
Menos roupa.
Menos encanação.
Menos se levar a sério demais.
Menos escritório.
Menos cara feia.
Menos despertador do lado da cama.
Menos falta de tempo.
Menos resolver tudo por email.
Menos chapinha.
Menos distância.
Menos complicação.
Ah, eu quero menos pra mim...e quer saber? Eu desejo o mesmo pra você

I'd lie

Já aviso que minhas músicas-de-mulherzinha viciam ;p
gosto muuuuito dessa, tô até meio enjoada de tanto que ouvi nos ultimos meses, mas é tão mimosa *-* colcoquei o link de um pseudo-clip dela:

Vídeo

I don't think that passenger seat
Has ever looked this good to me
He tells me about his night
I count the colors in his eyes

Don't ever fall in love
He swears, as he runs his fingers through his hair
I'm laughing 'cause I hope he's wrong
And I don't think it ever crossed his mind
He tells a joke, I fake a smile
But I know all his favorite songs

And I could tell you
His favorite color's green
He loves to argue
Born on the seventeenth
His sister's beautiful
He has his father's eyes
And if you ask me if I love him..
I'd lie

He looks around the room
Innocently overlooks the truth
Shouldn't I like your walk
Doesn't he know that I've had it memorized for so long

He sees everything in black and white
Never let nobody see him cry
I don't let nobody see me wishing he was mine

He stands there, then walks away
My God, if I could only say
I'm holding every breath for you

He'd never tell you, but he can play guitar
I think he can see through everything but my heart
First thought when I wake up is
My God, he's beautiful
So I put on my make-up and pray for a miracle

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

não tente me impedir.

Ai, ai, ai
Sou um castelo de areia sem você que a onda bate e ele cai
Eu sou poeira e tempestade sem destino que não sabe aonde vai
Sem você estou perdido

Agora estou aqui
Quero viver aquele amor de novo
Reascender a chama desse fogo que o vento soprou
Pra te beijar sob o olhar da lua
Nós dois apaixonados pela rua num filme de amor

Me da teu beijo vai
Me da carinho vai
Me queira de novo
Me da teu colo vai
Da mais um pouco vai desse amor gostoso

Deixa meu beijo te acender
Deixa eu te amar no clarão da lua
E quando o dia amanhecer o sol vai aquecer duas pessoas nuas
Deixa eu mostrar que meu amor é de uma fonte infinita que nunca se acaba
E ainda tenho muito fogo pra te aquecer no frio da madrugada

TPM

por que raios temos que passar por ela?
SÉRIO, to insuportável. Acho injusto sair de casa e obrigar mais pessoas a me aguentar. Ninguém merece alguém mau-humorado desse jeito por perto.
Mas eu nao vou dar o braço a torcer (a nao ser que bata uma deprê mais além, o que é possível considerando a época do mês) e vou sair, entrar numa garrafa de cerveja e meus queridos amigos vao ter que me aguentar. Afinal amigo é pra isso mesmo. E pra me carregar pra casa depois, chorando (porque TPM dessas intensas sem choro é o mesmo que El niño sem mudança de zonas de pressão: impossível acontecer).

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

ZERO

Estava eu tendo uma DR com a Helena e de repente veio uma inspiração, entao resolvi escrever (já que estudar não tá rolando mesmo...)

Eu descobri que sou puta. Afinal, se seguir meus instintos e realizar minhas vontades é ser puta, eu quero mesmo é ser puta e gritar orgulhosa "EU SOU PUUTAA!" com um sorriso de orelha a orelha.
A sociedade nos faz crer que quem beija muitas pessoas, transa com muitas pessoas, come comidas muito calóricas está comentendo um pecado (e quem é que define quantos são 'muitos'?).

Antigamente casava-se virgem e com muuuuuuuita sorte se era bem-comida. Hoje em dia é possível provar diversos sabores para descobrir do que se gosta e então poder ESCOLHER o que mais lhe grada.

Eu mesma, a puta que vos fala, pensava em casar virgem. HA HA HA! Se eu tivesse casado com o guri que eu perdi a virgindade estaria mal-comida e triste pro resto da vida - afinal divórcio também não pega lá muito bem perante a sociedade.

Ainda bem que eu tive oportunidade de descobrir do que eu gosto e não gosto, ter novas experiências e outros parceiros (muitos ou não, que diferença faz? desde quando mulher é como carro, que quanto menos km rodados melhor é?)... Assim pude ME CONHECER e fazer mais POR MIM.

No começo eu me sentia culpada, tinha uma lista dos guris que tinha beijado, das comidas que eu deveria evitar, do dinheiro que eu deveria guardar. Me sentia mal, eram números expressivos. Rasguei a lista, parei de contar e beijo, como e gasto o que me der vontade a hora que me der vontade. E poucas coisas são tão gostosas como uma vida livre de números.

Claro, todos temos limites e eu, graças às minhas ''putarias'' - no melhor sentido da palavra - sei bem quais são os meus. O importante é estarmos de acordo com eles e não com os dos outros. Os outros que cuidem da vida deles, os meus números-não-contabilizados dizem respeito só a mim.E não pensem que parei de contar só os "quilômetros rodados", o dinheiro não investido e os sabores perdidos. Parei de contar tudo que não fosse acrescentar conteúdo na minha vida, tudo que não fosse me fazer mais feliz.

Não sei quantos quilos falta para eu chegar no meu peso ideal. Me olho no espelho e decido se eu quero cuidar melhor da alimentação ou simplesmente não estou afim de abrir mão do brigadeiro num domingo a tarde. Não tenho nem ideia de quantas calorias tem o sorvete da zumzum que eu como diariamente. Nem penso no valor calórico do meu big mac. Não sei quantos guris eu já beijei. Nem imagino quantos litros de água eu gasto no banho (eu tomo rápido por questões óbvias vindo de uma bióloga, mas eu sei que não importa quanto eu gaste a menos do que os outros, ainda vou achar que poderia gastar menos e viraria neurótica). Não faço idéia de quantas horas minha mãe e meu pai precisam trabalhar só para me manter aqui em Pelotas. São números que me fariam sentir culpada, que provocariam agústias. E de angustiante já chega o futuro incerto, a dor-de-cotovelo, o Grêmio que leva dois gols do Pelotas e ganha sofrido de virada.

domingo, 10 de janeiro de 2010

pratique o desapego

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.
- Fernando Pessoa -

"Outro tempo começou pra mim agora..."

(8)

Eu abro todas as janelas da casa
Eu deixo o sol iluminar o caminho
Eu deixo a lua fazer sombra na sala
E o vento bagunçar meu destino

Eu vejo o teu fantasma dentro do quarto
Acendo a luz pra que você vá embora
Te exorciso enquanto eu calço os sapatos
Vou sair e te tirar da memória

Eu não acredito em você hei hei hei no way no way
Eu não acredito em você hei hei hei no way no way

Eu perco o sono mas não perco o juízo
Eu me mudei pro andar mais alto do mundo
Eu posso ver toda cidade lá fora
Aqui dentro eu mudo sempre de assunto

Eu pendurei os quadros pela parede
Nada que lembre o teu sorriso absurdo
Mas quando eu vejo o teu olhar nos meus sonhos
Eu me encontro e me esqueço de tudo

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

é bem coisa de gurizinho...

Engraçado, sempre que a possibilidade de dar tudo errado é quase absoluta eu fico tranquila e sigo em frente, afinal eu ja sei mesmo como agir quando tudo vai por água abaixo. Até insisto no que eu sei que é um erro. Agora que tudo tende a dar certo eu fico querendo fugir...
É novo, é diferente. É assustador.
Posso sair correndo agora?

sábado, 2 de janeiro de 2010

"Verão sem vergonha"

Fui levar a Fer tomar um banho de piscina hoje e, enquanto tomava meu solzinho (que estava mais para solaço), fiquei observando as pessoas, seu comportamento e seus biquinis.

Reparei que existe um padrão entre as gurias de 14 à 18 anos: quase todas enrolam-se na toalha para sair da piscina e evitam ao máximo servem vistas muito tempo fora d'água usando apenas o biquini.
Ao ver isso lembrei que já quis sacudir algumas amigas porque ficavam fazendo ceninha para tirar a roupa e pular na água. "Ai, vão ver minha celulite" ou "Ah, não, tô gorda!".

E DAÍ se tu tens celulite, criatura? TODAS NÓS TEMOS! E elas são legais porque dizem "sou gostosa" em braile ;)
E DAÍ se tu estás um pouco acima do peso que querias? Sinal de que tiveste jantas divertidas com tuas amigas, almoços saborosos, festa de criança... Muuuito sorvete para amenizar o calor do verão. Claro, todas gostariamos de chegar no corpo desejado, nao estou dizendo que não é válido tentar ou se cuidar, mesmo porque não é só uma questão de estética, é também de saúde... Mas baixa a guarda, relaxa e curte o momento. O verão nao dura pra sempre e a piscina vai fechar.

E cá pra nós, tu achas que com todas as coisas maravilhosas que tens para oferecer deverias estar te preocupando com esses detalhezinhos?
Teu sorriso é lindo, teu cabelo digno de ser apresentado orgulhosamente pelo cabelereiro que cortou, tuas conversas são gostosas, teu senso de humor é fantástico, teu seio é natural, tu ficas um charme de óculos e tua risada contagia. QUEM É QUE VAI PRESTAR ATENÇÃO NA CELULITE OU NOS PNEUZINHOS? As outras mulheres. Alguns homens vazios. E ai, a opinião dessas pessoas te interessa? Acho eu que não, né? Principalmente porque mulher é suspeita pra falar e homem vazio não tá servindo nem pra "tapa-buraco".

Hoje em dia os biquinis mais parecem sungas, a parte de cima parece um top.
Eu não sei tu, mas eu já não procuro um biquini que me deixe gostosa. Eu procuro um biquini que seja o MENOR possível, para ficar com um bronzeado lindo, porque minha prioridade é me ver com aquele tom "saudável" na pele e não esconder meu corpo.

Ano passado eu fui achar o que eu achava ser o "biquini ideal" quase no fim do verão, porque eu queria um que disfarçasse o peso adquirido no inverno, que aumentasse meus seios, diminuisse a minha bunda e nao apertasse minhas "alcinhas" (ou bordas de catupiry, como queiram). Eu perdi algumas boas tardes do meu verão procurando o dito cujo ao invés de pegar sol, nadar, jogar bola. E o desgraçado custou caro.

Hoje, depois de ter tido um ano para amadurecer um pouco mais (ainda bem que é um processo contínuo!) eu percebo que isso tudo é besteira. Cheguei no meu tempo de nao me importar com o que os outros vão dizer e comprei um biquini fio-dental (que custou 1/3 do que custou o outro). E pasmem: a parte de cima nao tem bojo e é cortininha, nem disfarça o tamanho picurrucho dos meus peitos. Mas sabe de uma coisa? A marquinha fica linda! E eu ando por aí sem uma toalha a tira-colo. Que alívio! (um salve para o amor-próprio)

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

a beleza de um coração partido

Como dóóóóói, né? Aí vem uma retardada postando no blog dela que é uma coisa bonita quebrar a cara e chorar as pitangas por dor de amor. Claro, bonito não é. Nem gostoso. Agora pensa comigo: tu estas de coração partido por quê?

Primeiro porque baixaste a guarda para alguém, deixaste a pessoa se aproximar, te conhecer, te conquistar. Até aí só coisa boa.
Com isso vem o sentimento. Quelo maledeto que dá um medo danado. Mas tem o medo e a vontade... E a vontade te leva aos pouquinhos em direção de um RELACIONAMENTO (uuui, medinhoo de novo!).

As coisas vão acontecendo: as mãos se tocando, as bocas se beijando, os corpos se apertando, os sorrisos se abrindo e iluminando, os olhos.. ah, os olhos, esses sim são diagnóstico: eles brilham, sorriem, vibram, cantam.

Depois disso acontecem jantares (cada vez mais raros nos 'relacionamentos' atuais - como fazem falta!!!), as ligações e torpedos, as conversas mais íntimas, a cumplicidade, o carinho, a família envolvida, as viagens juntos, o respeito cada vez maior, os planos, os presentes (nao necessariamente comprados), os gestos que expressam o apreço um pelo outro.

Eventualmente ocorrem brigas, discussões... algumas mais sérias que acabam separando os dois apaixonados. Isso acontece porque NADA, absolutamente nada, é para sempre. E melhor assim, não acham?

Se relacionamentos não terminassem, eu não teria namorado com meus ex namorados que me fizeram crescer, o carinha que tu estas de olho nao estaria disponível no mercado novamente, meus pais não estariam casados.
Se relacionamentos nao terminassem tu estarias fadada(o) a ficar para sempre com a pessoa que tu escolheste anos atrás, quando pensavas diferente do que pensas hoje.

AINDA BEM que relacionamentos terminam. Todo sabor inconfundível de novo-amor pode ser sentido mais de uma vez, as sensações, o friozinho na barriga, a angústia da dúvida (será que ele vai me ligar? será que ele me quer? será que encontrei o que eu procurava?), a delícia do siiim *-*, e o prazer de todas as coisas citadas anteriormente que envolvem o relacionamento.

Claro que dói quando termina, mas a dor passa. As coisas legais que VIVERAM juntos (VIVERAM porque se arriscar e deixar as coisas acontecerem, mesmo com medo, mesmo sabendo que pode machucar é VIVER) ficam na memória e são guardadas com muito carinho.
E sabes o melhor? À medida que o tempo passa e a gente cresce, fica mais fácil superar um coração partido. E, além disso, vamos aprendendo o que serve e o que nao serve para a gente e percebe que 'migalhas' devem ser despresadas, nao vale a pena reservar-se para elas e perder a oportunidade de um 'banquete'.

Dor de amor é bom porque significa que vivemos um amor, mesmo que um amor-migalha, mesmo que um amor-sozinho... Amor é amor! E sempre vai valer a pena*.

*Desde que não deixemos um 'meio-amor' se estender demais, prejudicando o amor mais importante de todos: o amor próprio.

o primeiro a gente nunca esquece.

Todos os primeiros, inclusive o primeiro blog.

Estava eu lavando a louça (com sabão em barra para nao doer muito a consciência, óbvio) enquanto pensava no blog da Aline, no da Helena, no do Niki, do meu fotolog (que muitas vezes eu posto fotos aleatórias porque tudo que eu queria era, na verdade, escrever) e lembrei que faz mais de meses que eu disse que faria um para mim. Talvez essa história de 'ano novo, vida nova' tenha ajudado um pouco, afinal este anoeu pretendo fazer tudo que eu penso em fazer e NA HORA que eu penso em fazer, senao eu acabo não fazendo.

Então aqui estou eu, finalizando minha primeira realização do ano de 2010.

Nao esperem textos muito inteligentes ou bem escritos, nao nasci para ser escreitora (eu suspeito) mas estejam prontos para risadas, desabafos e letras de músicas, com certeza letras de músicas (nao minhas, porque me falta o dom, mas músicas q falam por mim).

:**
Feliz ano novo =)