sábado, 7 de janeiro de 2012

Amo, claro que amo!

Me pergunto agora o que foi que te deu na cabeça para me perguntares se ainda te amo. Já não te disse, anos atrás, que amava - e muito?

Até onde eu sei, amor, quando é amor, dura uma eternidade. Não sei como se desama alguém. Na minha cabeça, na minha forma de ver as coisas, no meu coração, desamar não existe. Nunca existiu. É óbvio que te amo. Amo desde aquele dia, quando nossos olhos se cruzaram de pertinho e eu percebi que não conseguia mais segurar as rédeas, não tinha mais como negar que realmente tu eras muito importante pra mim. Continuo amando. Amar é um verbo que não se conjuga no passado.

Amo o teu jeito, a tua paciência, o teu carisma, as tuas manias, teus defeitos, o teu estilo, tuas mãos, teu cheiro, teu cabelo... Te amo por inteiro, como disse há muito tempo. Não era mentira. Não é mentira. Eu te amo. Amo mesmo, como sempre foi.

O que mudou foi a paixão, sabe? Eu era apaixonadíssima por ti. Era mesmo. Muito. Demais até. Mas paixão, diferente do amor, não é pra sempre. Não sou mais apaixonada, louca por ti. Te amo, mas não sinto mais atração, paixão, necessidade de contato físico e emocional. Me sinto confortável perto de ti - e longe também. Amo à distância, como quem admira uma obra de arte, como quem ouve uma música que desperta mil e um sentimentos, mas não precisa ouvir 9 milhões de vezes seguidas, pois já passou dessa fase de fixação e se satisfaz com um play lá de vez em quando. Um contato esporádico, nostálgico, cheio de carinho me basta.

Sim, broto, é claro que sinto tua falta. Quem não sentiria? Companhia agradável, papo interessante, divertido, querido, que me conhece como ninguém e entende todas as minhas pirações, sabe o que dizer na hora certa... Sinto, mas não morro mais de saudades. Não sofro com a distância. Aceito ela numa boa. Só isso mudou: desapareceu a paixão, a expectativa, o desejo, o sofrimento. Ficou o amor, as lembranças, o carinho enorme que sinto por ti. E o mesmo desejo que escrevi em todos os cartões de aniversário que te dei: que sejas muuuuito feliz!