quinta-feira, 1 de abril de 2010

ENGOLE ESSA, SEU FDP!

Andando tranquilamente pelas tuas de Pelotas, quase em um universo paralelo enquanto ouvia engenheiros do hawaii, perdida em meus pensamentos. Paro na esquina para esperar minha vez de atravessar a rua e olho para o lado: uma criança linda de mão dada com o pai. Vocês achariam lindo se eu continuasse calma contando os fatos, mas fatos como os que estou prestes a relatar não me deixam nada calma - e não são nada lindos. (não, o pai não espancou a creiança, mas pra mim o efeito é o mesmo!)

O menino carregava um copo plástico vazio nas mãos e ele simplesmente largou no chão, tentando acertar o boeiro! Cordialmente, me agaixo, recolho o maldito pedaço de plástico e digo "tem que colocar no lixo, não no chão!" num tom quase suave, digno de ser usado com crianças. Sigo em frente. Poderia dar uma palestra sobre como aquilo era errado, mas esse dia está lindo e eu não queria estragá-lo.

Meus fones no ouvido, a música não muito alta porque não quero ficar "meio-surda" como meu pai, consigo ouvir o pai da criança me chamar de grossa. Dá prá aqueditar?
Nesse momento minha boca quase se abriu, revelando meus pensamentos. Acho que minha alfinetada sutil doeu no indivíduo que não era um cidadão. E grosso é ele, que me obriga a conviver com o lixo dele.

"Jogar lixo no chão é o maior atestado de ignorância que existe e ensinar teu filho a fazê-lo é muito baixo-nível. Poxa, tu é no mínimo da classe média, julgando pelas tuas roupas... Provavelmente teve acesso a educação, não deveria ser assim! Em que mundo tu vive? Achei que esse tipo de gentinha não existisse mais. Tu viu que ele ainda tentou acertar o boeiro, seu IDIOTA? Aposto que quando chover e a rua alagar tu será um dos primeiros a reclamar... QUANDO A CULPA DISSO, EM PARTE, É TUA, seu IMBECIL." Queria falar, gritar tudo isso bem alto para que mais uns desses irresponsáveis ouvissem, mas resolvi me calar e fazer de conta que não tinha escutado nada, que o assunto não era comigo... E agora desconto aqui minha ira, faço vocês ouvirem meus lamentos pela sociedade brasileira altamente ignorante, mesmo com a informação sendo esfregada na sua cara. Que nojo!
Tudo bem que a cidade não colabora, lixeiras são raras... Mas eu recolhi o copo e levei na minha mão ate encontrar um lixo, o que impede aquele serzinho de quinta categoria de fazer esse mínimo esforço? Juro que não doeu andar com o copo por uma quadra e meia.

É muito frustrante perceber que mesmo com tudo que vem sendo feito para a conscientização do povo a realidade não muda.

4 comentários:

  1. Realmente...é o cúmulo da ignorância jogar lixo na rua. As pessoas não aprendem mesmo, precisam se "afogar" em imundicie pra se darem conta do que estão fazendo. Alias, nem iso funciona, já está mais do que provado, afinal quantas enchentes e alagamentos ja aconteceram nos últimos tempos e as criaturas continuam fazendo tudo errado, sem se importar com o resultado.
    Acho que ainda pensam que "não vai ser um papelzinho ou um copinho que vai fazer todo o estrago" e não se tocam que todos pensam assim, por isso o mundo está a #@%*& que está.
    É difícil mesmo conviver com isso, juro que também tenho vontade de sair gritando pela rua quando vejo algum idiota fazer isso, mas da mesma maneira, acabo ficando calada, porque afinal de contas eu, tu e alguns poucos conscientes somos pequenos entre as milhares de pessoas IRRESPONSÁVEIS (pra não dizer PORCAS) que fazem o mundo ficar cada vez pior.
    Aff...desabafei!Me sinto até um pouquinho mais leve agora.
    Bjos Kah!!;**

    ResponderExcluir
  2. minha ídala!!!
    (Eu deveria me importar mais com isso...)
    XD

    ResponderExcluir
  3. esse cara com certeza não mora em lugares que costuma alagar com qualquer chuvinha...
    não mesmo... e te digo: existem sim, muitos mais por aí! (infelizmente...)

    ResponderExcluir
  4. Mentes como essas sem um pingo de evolução ou melhora que contribuem de forma tão forte pra estagnação e paralisia do lugar que a gente vive, que raiva :/

    ResponderExcluir