segunda-feira, 3 de maio de 2010

Nossa Vitara nova.

Conforme o combinado, ontem eu e meu maridão fomos a uma concessionária escolher nossa mais nova aquisição: um carro.
Entre os diversos modelos, chegamos ao consenso de que por hora queríamos uma Vitara (Gauchão).
À princípio, saí de casa imaginando uma Vitara Amarelo-Ferrari, mas logo que falei isso para meu excelentíssimo ele me fez perceber que o ideal seria uma azul, pois a amarela chamaria atenção demais e enjoaria rápido (além de a azul combinar com os olhos dele). Ele tinha razão, entao fui aberta a outras opções de cores, menos branco porque eu acho feio.
Conversamos com o vendedor e ele nos informou que Vitaras haviam poucas, apenas 3: uma azul celeste (Grêmio ganha o jogo e se consagra campeão em cima do inter), uma preta (Grêmio não ganha o jogo,mas é campeão) e uma vermelha (inter, contra todas as probabilidades, sai campeão às custas do Grêmio. Nem pensar!). Já a Blazer ele poderia nos oferecer azul marinho (a cor que o maridão queria na Vitara), branca, preta, verde e bordô, além de umas bicolores como vermelha e verde (parecendo uma melancia!).
Nós nos apaixonamos pela Blazer azul marinho, mas no momento nossa prioridade era uma Vitara. A Blazer (Copa do Brasil) será nossa próxima aquisição, se Deus quiser.
As Vitarinhas, como chamamos carinhosamente, tinham valores diversificados, porque eram de anos diferentes. A mais nova era a Azul-celeste, linda por sinal. A mais velha - e consequentemente mais barata - era a vermelha. Mas a vermelha, como a amarelo-ferrari, chamaria atenção demais e enjoaria rápido. Nos restou a preta. O problema de um carro preto é que ele risca facilmente a pintura e a sujeira fica muito visível. Nosso dinheiro dava direitinho para a preta, apesar de o coração pulsar mais forte perto da azul. Paciência, temos que nos contentar com o que o podemos conquistar agora.
Levamos para casa, com pagamento à vista, nossa Vitara preta. O prazer de dirigir um carro que é teu é outra coisa. Estamos muito felizes.

Um comentário: